Criança com deficiência consegue andar em skate adaptado e emociona a web, no RS

Maioria dos brasileiros afirma que escola inclusiva melhora educação
18 de October de 2019
Loja lança linha inclusiva de fantasias de Halloween para crianças com deficiência
30 de October de 2019
Mostrar tudo

Criança com deficiência consegue andar em skate adaptado e emociona a web, no RS

João Vicente, 7, conseguiu realizar seu sonho graças a um projeto criado por dois gaúchos. Eles projetaram um skate diferente para que ele e todas as crianças com deficiência possam sentir a sensação do “ventinho no rosto”

Sabrina Ongaratto para a Revista Crescer / revistacrescer.globo.com

João Vicente no seu skate adaptado (Foto: Reprodução Instagram)

O sorriso no rosto do pequeno João Vicente, 7 anos, já diz tudo! Basta subir em seu skate, sentir a liberdade e o vento no rosto, que toda essa felicidade aparece. Mas não é qualquer skate. “Meu filho é um menino cheio de vontades, desejos e sonhos. E um deles foi, por muito tempo, andar de skate. Acontece que ele tem paralisia cerebral desde que sofreu um AVC, com 1 ano e 8 meses. E para as crianças que tem paralisia ou qualquer outro tipo de deficiência, ter desejos e sonhos não é permitido. O mundo está sempre nos dizendo que ‘não’. Por muito tempo, tentei suprir esse sonho com outros recursos como bike, andador, skate elétrico, mas nada adiantou”, conta a mãe, Laura Costa Patrón, 31, que é escritora, palestrante e profissional da inclusão.

 

Mas a frustração de João Vicente, que é Porto Alegre, terminou quando ele e a mãe conheceram o projeto Anima Skate (@skate_anima). “É um projeto tocado por dois caras incríveis, o Daniel e o Stevan, que não conseguiram ficar parados diante do sonho de uma outra jovem com paralisia cerebral. Ela queria o mesmo que o João: andar de skate. E esses caras que amam skate acharam mais que justo que todas as crianças pudessem ter a chance de amar também”, completou ela. A dupla “achou um jeito de fazer o impossível mais possível”, diz Laura.

Skate adaptado e irado! (Foto: Reprodução Instagram)

João Vicente no seu skate adaptado (Foto: Reprodução Instagram)

 

Skate anima: o impossível é possível

Mas o projeto não parou no João Vicente. Enquanto o pequeno está com a autoestima lá em cima, todo feliz e orgulhoso, outras crianças também estão tendo a oportunidade de sentir o mesmo. O acompanhante terapêutico, Daniel Paniagua, 35, que coordena o Skate Anima junto com o fisioterapeuta Stevan Pinto, 39, conta que o projeto nasceu em 2015, por meio de um atendimento de Stevan. “Uma paciente pediu para que ele levasse o skate na sessão de fisioterapia e ele adaptou pra ela. Foi então que surgiu a ideia de ampliar para mais pessoas”, conta. E a partir daí, só cresceu. “Hoje, promovemos encontros, vivências e workshops com essa metodologia em várias cidades do Brasil”, revela Daniel. “Trabalhamos com vários tipos de adaptações. Algumas já existem, outras, a gente cria. Mas o projeto é focado na ideia da inclusão, de possibilitar que essas pessoas também tenham acesso”, diz.

Sobre a adaptação usada por João Vicente, Daniel explica que ela foi produzida por um skatista profissional, chamado Ricardo Porva, de Minas Gerais. “Ele fez esse andador para a filha dele que tem uma deficiência, e nós conseguimos trazê-la para o projeto”, diz. “Atendemos todas as deficiências, desde autismo, síndrome de Down, paralisia cerebral… Estamos aberto a todas as pessoas”, afirma ele. O projeto, segundo Daniel, já conseguiu chegar até o maior skatista do mundo, Tony Hawk. “Tivemos a possibilidade de ir a São Paulo e conhecê-lo. Mostramos que é possível, que todas as pessoas podem fazer isso. Trabalhamos como facilitadores desse acesso. Nós somos skatistas, nos conhecemos através do skate e, hoje, dentro das nossas profissões, conseguimos usá-lo como uma ferramenta de trabalho e inclusão. Agora, pretendemos chegar a mais cidades do Brasil para reinvestir no projeto e ampliar o número de ações”, finaliza.

Criadores do projeto Skate Anima (Foto: Divulgação)

Confira, abaixo, as imagens da primeira vez que João Vicente andou de skate! (se não conseguir visualizar, clique aqui).

 





Eu pirei quando vi pela primeira vez fotos do projeto Skate Anima do @studio_neuro . Porque eu estou sempre me perguntando em como fazer o João sentir – liberdade. E voar assim, de pé, com vento na cara, com atrito nos pés. Nunca encaixava nossa agenda com a deles. Esse finde o João estava com o pai, e me lembrei de avisar: vai rolar. Eu estava trabalhando, escrevendo uma palestra nova sobre aceitação, quando recebi esse vídeo. O original tem um minuto e me botou chorando em dois segundos. Que projeto lindo 🖤 conheçam o trabalho desses caras. Eu não sei o que movimenta dentro dessas pessoas que fazem coisas assim, absurdamente maravilhosas para o outro. Quer dizer, eu sei. É empatia, coragem, é vontade de mudar o mundo – pelo menos um pouquinho, é paixão pela vida. Paixão e vida. É o que o João está sentindo enquanto anda de skate sorrindo, testa pulos nos pés, e não sabe o quão improvável era que isso acontecesse um dia. Se não fosse alguém desejar fazer acontecer. Parabéns @studio_neuro . Na próxima vou junto. Avante ❤️ #avanteleaozinho #meufilhoexiste #inclusao
Uma publicação compartilhada por avante ⚡️ (@avanteleaozinho) em

ONG Sorriso Novo
ONG Sorriso Novo
Olá! A ONG Sorriso Novo é uma organização sem fins lucrativos e nasceu do sonho de seus fundadores em difundir ações solidárias nas mais diversas áreas, tais como: saúde, artes em geral, infância e adolescência, esporte, congressos e palestras, educação de pessoas carentes, idosos, população de rua, comunidades carentes. Desde 2001 temos atuado no Complexo da Maré promovendo diversas contribuições às famílias da comunidade. Com pouco mais de 10 crianças deficientes apadrinhadas, atualmente buscamos firmar projetos e parcerias a fim de aumentar o nosso alcance e ser capaz de oferecer maior assistência a população carente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *