'Criança autista não é só um diagnóstico, ela precisa de cuidados', diz psiquiatra infantil

Um outro universo
19 de March de 2021
Cresce número de pessoas com Síndrome de Down na rede de ensino
26 de March de 2021
Mostrar tudo

‘Criança autista não é só um diagnóstico, ela precisa de cuidados’, diz psiquiatra infantil

Maria Amélia Ávila para o hojeemdia.com.br
Receber um diagnóstico de qualquer deficiência, principalmente em relação aos filhos, não é nada fácil. Uma síndrome que ainda assusta muito pais é o autismo, ou Transtorno do Espectro Autista (TEA). A psiquiatra infantil, Jaqueline Bifano, conta que muitos pais e mães choram ao receber o diagnóstico de que o filho tem autismo, mas o alerta que ela faz para os pais é que “seu filho não é um diagnóstico, ele é uma criança que precisa de cuidados”.

E são muitos os cuidados para melhorar a qualidade de vida de uma criança autista. O tratamento é multidisciplinar, com psiquiatra, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta assistencial, e o que é melhor, todas essas terapias podem ser feitas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Mas o diagnóstico só pode ser feito por um neuropediatra ou um psiquiatra infantil, são esses dois profissionais que vão avaliar a criança e identificar os sintomas que, normalmente, são refletidos em problemas na comunicação, na socialização e nos comportamentos repetitivos.

A psiquiatra infantil lembra que o dia 2 de abril é o Dia Mundial De Conscientização do Autismo, data para chamar a atenção da sociedade para uma questão que atinge, pelo menos, 2 milhões de pessoas no Brasil, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Acompanhe a entrevista na íntegra.

ONG Sorriso Novo
ONG Sorriso Novo
Olá! A ONG Sorriso Novo é uma organização sem fins lucrativos e nasceu do sonho de seus fundadores em difundir ações solidárias nas mais diversas áreas, tais como: saúde, artes em geral, infância e adolescência, esporte, congressos e palestras, educação de pessoas carentes, idosos, população de rua, comunidades carentes. Desde 2001 temos atuado no Complexo da Maré promovendo diversas contribuições às famílias da comunidade. Com pouco mais de 10 crianças deficientes apadrinhadas, atualmente buscamos firmar projetos e parcerias a fim de aumentar o nosso alcance e ser capaz de oferecer maior assistência a população carente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *