Família de criança com Down vítima de preconceito na internet quer ajudar a denunciar casos de discriminação

Adolescência e deficiência: cuidados básicos para melhor desenvolvimento
7 de January de 2022
Alterações de Leitura e Escrita no TEA: Dicas Práticas
14 de January de 2022
Mostrar tudo

Família de criança com Down vítima de preconceito na internet quer ajudar a denunciar casos de discriminação

Pedro Zylbertajn, de 4 anos, foi chamado de ‘retardado’ no Instagram; Henri, pai do menino, fundou instituto para apoiar pessoas com deficiência intelectual

A família Zyberstajn, que mantém o Instituto Serendipidade, que apoia pessoas com deficiência intelectual Foto: Acervo pessoal

SÃO PAULO — Henri e Marina Zylberstajn abrem toda semana uma caixinha de perguntas na página do filho caçula, Pedro, o Pepo, no Instagram (@pepozylber), para responder a dúvidas de pais cujos filhos foram diagnosticados com Síndrome de Down. Nesta semana, várias pessoas perguntaram se o menino já havia sido vítima de discriminação. O casal decidiu então expor o ataque mais recente sofrido por Pepo, no último domingo (2). O perfil de Jana Oliveira, que se apresentava em sua conta no Instagram como “mãe”, respondera a um story com imagem do menino chamando-o de “retardado” e “feioso”. Henri disse ao GLOBO que não foi a primeira vez que Jana ofendeu Pepo nas redes sociais. Ela já havia chamado o menino de “macaco”.

— Não podemos ficar quietos diante de um crime de discriminação. Denunciar é nosso dever como cidadãos, empreendedores sociais e protagonistas da construção de um mundo mais plural, justo e inclusivo — afirmou Henri, que é empresário.

Leia a matéria completa em oglobo.globo.com

ONG Sorriso Novo
ONG Sorriso Novo
Olá! A ONG Sorriso Novo é uma organização sem fins lucrativos e nasceu do sonho de seus fundadores em difundir ações solidárias nas mais diversas áreas, tais como: saúde, artes em geral, infância e adolescência, esporte, congressos e palestras, educação de pessoas carentes, idosos, população de rua, comunidades carentes. Desde 2001 temos atuado no Complexo da Maré promovendo diversas contribuições às famílias da comunidade. Com pouco mais de 10 crianças deficientes apadrinhadas, atualmente buscamos firmar projetos e parcerias a fim de aumentar o nosso alcance e ser capaz de oferecer maior assistência a população carente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *