“Uma boneca como eu”: Mulher faz bonecas para crianças com deficiência

Dia Internacional da Síndrome de Down é para comemorar e lutar, diz associação do DF
21 de March de 2019
O brincar e todos nós: as atividades lúdicas como espaço de desenvolvimento e convívio
29 de March de 2019
Mostrar tudo

“Uma boneca como eu”: Mulher faz bonecas para crianças com deficiência

Uma mulher notou a falta de diversidade e começou a fazer bonecas para que as crianças se sintam necessárias e incluídas.

Foto: A Doll Like Me

Uma mulher notou a falta de diversidade e começou a fazer bonecas para que as crianças se sintam necessárias e incluídas.

Amy Jandrisevits, de Wisconsin, nos EUA, criou A Doll Like Me – “Uma boneca como eu”, em tradução livre. Ela faz bonecas com as mesmas características de seus proprietários, com deficiências ou condições raras.

Amy está cooperando com um hospital infantil onde o seu produto melhora o bem-estar da criança. “Eu sempre digo que as bonecas tocam as crianças em um lugar onde a medicina simplesmente não consegue”, analisa.

Proprietária de uma pequena empresa, Amy é colecionadora de bonecas desde a infância.

Há 4 anos, depois de trabalhar como assistente social na unidade de oncologia pediátrica, ela sentiu o desejo de começar a criar brinquedos representativos para estas crianças.

“Mesmo quando eu era assistente social, achava importante ter bonecos disponíveis para as crianças, porque todos deveriam ter algo para segurar. Todos devem ter uma boneca que se pareça com eles”, escreveu Amy no Facebook.

Personalizada

Além de bonitas, as bonecas ou bonecos criados por “A Doll Like Me” fazem a diferença na vida de centenas de crianças.

Jandrisevits realiza um verdadeiro desafio para que a boneca se pareça com a criança para a qual é destinada: desde marcas de nascença até diferenças nos membros.

Cada boneca é única, mas ainda tem uma coisa em comum – todas têm um sorriso.

“É tão difícil dizer a uma criança ‘você é linda do jeito que você é, mas você nunca verá uma boneca que se pareça com você.” – diz uma Amy de 45 anos, fundadora da A Doll Like Eu.

“Normalmente, os pais ou cuidadores pagam pelas bonecas – cerca de US $ 100 com frete por boneco. Quando eles não podem pagar, eu encontro uma maneira de cobrir isso sozinha. Qualquer que seja o custo, o que eu tiver que fazer, vou deixar uma boneca nas mãos dessas crianças. Isto não é apenas um negócio. É a coisa certa a fazer”.

Amy no seu ateliê Foto: A Doll Like Me

Amy no seu ateliê Foto: A Doll Like Me

A Doll Like Me já forneceu mais de 300 bonecas, enviadas para crianças de todo o mundo.

Amy pretende transformar seu pequeno negócio em uma organização oficial sem fins lucrativos, onde todas as crianças necessitadas poderiam ter sua boneca exclusiva gratuita.

Ela já alcançou a meta de U$ 38.000 de U$ 50.000 no GoFund.me.

“É incomum para mim fazer bonecas sem diferenças de membros, mas um tempo atrás, uma mãe me contatou pra fazer uma boneca para sua filha que foi adotada na China e tinha albinismo.

Eles não foram capazes de encontrar bonecas como ela e perguntaram se eu poderia ajudar. Eu não pude resistir. (foto abaixo)

Veja as fotos das bonecas e a felicidade das crianças:

Fotos: A Doll Like Me

bonecas_comoeu4

bonecas_comoeu3

 

Mais informações sobre “A Doll like me”: Facebook | Instagram ca.gofundme.com

Com informações do Bored Panda

ONG Sorriso Novo
ONG Sorriso Novo
Olá! A ONG Sorriso Novo é uma organização sem fins lucrativos e nasceu do sonho de seus fundadores em difundir ações solidárias nas mais diversas áreas, tais como: saúde, artes em geral, infância e adolescência, esporte, congressos e palestras, educação de pessoas carentes, idosos, população de rua, comunidades carentes. Desde 2001 temos atuado no Complexo da Maré promovendo diversas contribuições às famílias da comunidade. Com pouco mais de 10 crianças deficientes apadrinhadas, atualmente buscamos firmar projetos e parcerias a fim de aumentar o nosso alcance e ser capaz de oferecer maior assistência a população carente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *